29
ago

4 dicas para tornar o controle do fluxo de caixa mais prático

Será que todas as empresas segmentadas em micro, pequenas e médias conhecem amplamente sobre o fluxo de caixa? Diferente do que muitas pessoas acreditam, uma planilha de fluxo de caixa não serve apenas para o controle da entrada e saída de recursos.

Com a organização de todas as informações, é possível ter uma estrutura gerencial de resultados, uma análise precisa sobre o cálculo da rentabilidade e lucratividade, e mais, ter um equilíbrio financeiro que permita ao empreendedor ter um prazo de retorno de investimento

 

O fluxo de caixa é como uma estrutura flexível que permite ao empresário não apenas considerar gastos futuros através da previsão de saída e entradas, mas também investimentos de curto prazo, saídas emergenciais de recursos e previsão para a necessidade do capital de giro necessário.

Com a organização de todas as informações, é possível ter uma estrutura gerencial de resultados, uma análise precisa sobre o cálculo da rentabilidade e lucratividade, e mais, ter um equilíbrio financeiro que permita ao empreendedor ter um prazo de retorno de investimento.

Questionamentos que devem ser considerados na gestão do fluxo de Caixa

Qual o futuro do caixa? – A principal funcionalidade do fluxo de caixa é o cuidado com o capital de giro da empresa. Vamos supor que uma empresa esteja vendendo bem, porém as boas vendas consequentemente demandam mais gastos com reposição de mercadoria e pagamento de contas e tributos. Se não houver dinheiro o suficiente para o pagamento que vai desde o fornecedor até o recebimento do cliente, o empresário terá de recorrer a empréstimos. Com um bom gerenciamento de fluxo de caixa e uma visão de curto e médio prazo, este tipo de surpresa dificilmente existirá, porque a gestão financeira ordenada permite ao empresário um controle sobre entrada e saída de recursos, de maneira que pode evitar transtornos. 

Prevenir saldos negativos – A identificação do impacto de lançamentos futuros do caixa está ligada com métodos preventivos de saldos negativos. Os recebimentos podem não acontecer como o previsto, desta forma, o ideal é que ao final de toda semana, o empreendedor faça uma análise financeira da próxima semana. Haverá pagamentos ao longo da próxima semana, sem saldo para cobrir, por exemplo? Se sim, uma renegociação de prazos pode ser útil ou alguma promoção em vendas para obtenção de recursos.

De onde vem e de onde sai o dinheiro? – O que geralmente acontece com micro, pequenas e médias empresas é a realização de gastos que superam a capacidade de pagamento da organização. Para este tipo de problema comum é essencial a categorização de pagamentos e recebimentos, ou seja, saber de onde vem e de onde sai o dinheiro, acrescenta o especialista. Se houver gastos excessivos e desnecessários, uma redução já poderia ajudar na recuperação da saúde financeira da empresa.

 

Torne mais prático o controle do fluxo de caixa

1. Verificação diária – O acompanhamento diário pode evitar más surpresas ao administrador. A disciplina nesta verificação é essencial.2. Seja realista – Principalmente para empresários que estão começando é importante repensar as ações no negócio. Está havendo retorno conforme o planejado da venda de produtos/serviços? Renegociar contratos ou até mesmo agregar valor comercial ao produto pode ser uma alternativa para a saúde financeira do negócio. Em casos de início de empresa, pode ser útil até repensar o foco do trabalho, mudança de planos que possam trazer mais retorno.

3. Sistema de gestão financeira – O método tradicional de fluxo de caixa é a organização em planilhas. Mas o ideal é pensar na segurança e automatização desta ferramenta. Atualmente existem softwares de gestão online que tornam o trabalho de gerenciamento do fluxo de caixa mais simples, seguro e eficiente.

4. Seja visionária – Quando o empreendedor analisa o fluxo de caixa de maneira realista, consegue projetar a empresa em curto, médio e longo prazo. Gastos e ganhos podem ser estipulados e possíveis ‘más’ surpresas podem ser consideradas a fim de evitar a famosa conta no vermelho, enfrentada principalmente, por empresários que estão começando.

E se o empreendedor estiver encontrando dificuldades para gerir o fluxo de caixa?

Muitos empreendedores encontram dificuldades em alguns processos na administração de seus negócios, para estes casos,  empresas de consultoria costumam ser indicadas. Confira os principais erros cometidos pelos empresários em início de negócio no que se refere à gestão do fluxo de caixa com foco no capital de giro.

O que fazer?

Rever a composição de preço dos principais produtos ou serviços e verificar se o lucro é compatível com as metas;
Analisar as despesas que podem ser reduzidas em curto e médio prazo como: aluguel, gastos c om material de escritório, luz, telefone, etc;
Analisar a operação para otimizar e inovar os processos;
Pesquisar novos fornecedores, renegociar contratos;
Analisar se as ações de vendas e marketing estão tendo sucesso e considerar o corte de certos privilégios para a alta gestão, ao menos momentaneamente.

O que não fazer?

Começar o negócio sem nenhum ou com capital de giro insuficientes, pois em média demora 18 meses para começar a ter resultados positivos;
Não ter controle do fluxo de caixa;
Não saber qual o capital de giro necessário para a operação;
Não ter o pró-labore predefinido e adequado com o negócio para não comprometer o fluxo de caixa e o capital de giro;
Não saber separar as despesas pessoais das da empresa;
Usar empréstimos com pagamento de juros altos como cheques especiais para financiar o capital de giro;
Superestimar as vendas e subestimar os custos.