20
jun

Como abrir o próprio negócio: definindo o Plano de Ação

Ao escolher abrir um empreendimento, devemos ter sempre em mente que, a empresa nasceu para perpetuar, ou seja, o prazo de validade é praticamente infinito. Portanto, devemos prezar pela sua continuidade e crescimento constante.

Depois de escolher o nicho de mercado que você decidiu atuar, para continuar na jornada de abrir seu próprio negócio, determine:

Se você abrirá o negócio em sociedade (em par ou mais sócios) ou sozinha (o)

A vantagem da parceria em sociedade é partilhar os deveres e obrigações, mas também usufruir dos bens e direitos do seu empreendimento, em conjunto.

Mas o que é parceria, de fato, no mundo dos negócios?

Parceria pode ser definida como: colaboração que visa um objetivo comum ou sociedade de pessoas com objetivo comum. E existem alguns sinônimos para ajudar a entender mais sobre parceria: colaboração, cooperação, coparticipação, sinergia, acordo e união. Firmado este acordo, esta união, ou, decidido abrir sozinha o seu empreendimento, terás que dar sequência a outros detalhes, o planejamento deste negócio novo. 

Refletindo a organização e o planejamento da vida da sua empresa

Para te auxiliar, vou colocar algumas pequenas questões que poderão ser úteis, como um pequeno “mapa” a seguir. São estas:

1. Quem será envolvido neste negócio? Quem fará quais atividades para o negócio girar?

2. O que será esta empresa, ou seja, qual ramo de negócio será aberto?

3. Onde este negócio novo funcionará?

4. Quando abrir o negócio?

5. Por que abrir este ramo de negócio?

6. Como abrir este ramo de negócio?

Estas questões fazem parte de uma técnica chamada 5W1H, conhecida, no mundo dos negócios na área da qualidade total, para definir um plano de ação. As nomenclaturas originalmente são em inglês, e querem dizer basicamente: what – o que será feito, when – quando será feito, where – onde será feito, why – porque será feito, who – quem o fará e how – como será feito este plano de ação. Definindo os papéis

Vamos agora, à parte analítica de cada uma destas questões, com maior profundidade:

Who – Quem será envolvido neste negócio? Quem fará quais atividades para o negócio girar? Aqui é determinado, quem, na empresa, será o operacional e o administrativo. Quem fará parte direta na mão de obra e quem será o controle financeiro, por exemplo. Se em sociedade com mais de uma pessoa, é importante esta definição para que, cada integrante formalizado do negócio, assuma a parte que mais domina ou ao menos, a que mais tem facilidade em gerenciar, e assim facilitar a vida dos parceiros de negócio. No “quem (who)”, é possível definir quem tratará das decisões de imagem da empresa no mercado, quem estará à frente dos investimentos e contas, e quem assumirá as tarefas do pós venda, do serviço de atendimento ao consumidor (cliente) ou fidelização de novos clientes, da prospecção. Nesta parte, são delegadas as diversas tarefas dentro da empresa, e em comum acordo, desempenhadas, porém, é certo que, todas as decisões de compra, venda, aplicações, investimentos, e resgates sejam tomadas em conjunto, através de reuniões formalizadas e muito bem pontuadas, para que não aconteçam desacordos, descontentamento e para que a empresa seja preservada de qualquer ônus desnecessário.

What – O que fazer neste empreendimento, define até onde se quer chegar ao nicho escolhido e qual tipo de produto se quer vender ou qual tipo de serviço se quer prestar. Este item ajuda a manter o foco no negócio criado, no sonho que foi pensado lá atrás pelo empreendedor e que agora, está tomando a forma real e executiva diante do mercado. É importante colocar no papel o que fazer nesta empresa, e até onde o empreendedor irá atuar, a fim de seguir à risca, o objeto do negócio e a imagem que quer se passar sobre este. Neste item, é fundamental que seja segmentado se o ramo de negócio será diversificado ou personalizado essencialmente a um produto ou serviço mais específico. Como exemplo: a contabilidade é um ramo de negócio com diversos nichos (contabilidade, auditoria, perícia, controladoria). Na hora de escolher abrir um escritório de contabilidade fica muito claro que, o ramo de negócio não conseguirá, pelo tamanho que visa atingir e pelo público que escolheu, atingir todos os nichos. Pois para prestar um serviço de qualidade é importante certa restrição ao que se pretende, nesta área. Então deverão ser escolhidas no máximo três atividades, para que seja possível a dedicação a estas. Outro detalhe, neste ponto, é o estudo da marca (da bandeira do ramo de negócio que se quer levantar). Por exemplo: se o meu ramo de negócio é “cup cake”, e eu crio toda uma estrutura para isto (logotipo, marca, nome, slogan) e quero fidelizar este tipo de consumidor, o ideal é manter o foco neste tipo de produto e seus consumidores, e não, começar no meio do caminho a direcionar para panquecas. Obviamente que agregar novos nichos é empreender. Mas para isto, é necessário muito estudo e outro plano de ação de reestruturação.

Where – Onde será este empreendimento, determina exatamente o local de venda ou distribuição do produto ou da prestação do serviço. A importância deste item no plano de ação é para definir o ponto comercial, o ponto de vendas, se haverá um CD – centro de distribuição a ser agregado, se será um e-commerce (ponto de venda virtual com utilização de internet), ou se é o caso de uma franquia, e novamente, para qual público alvo será direcionado este ramo de negócio escolhido. Muitas vezes o empreendedor não compreende bem a razão deste item no seu negócio. Mas é importante fornecer ao cliente: um acesso de qualidade (seja ele virtual ou presencial); estacionamento, local de condução, ponto de ônibus, de táxi ou VLT, dependendo do caso, ou facilidade em encontrar local para estacionar; segurança física para acesso ao local de venda/serviço; segurança digital quando for o caso de acesso à web Page; local confortável, amplo e de boa visualização. E, principalmente, um ponto comercial onde a prospecção ocorra de forma natural e simples, por exemplo, local de grande circulação para comércio, beleza, alimentos, etc. Se o empreendedor consegue definir isto claramente no seu plano de ação, certamente, terá mais chances de sucesso ao longo do seu caminho, pois, a sua estrutura foi pensada previamente e montada para o bom atendimento, e, o cliente, repara nisto, bem como memoriza o que é de qualidade e o que lhe traz benefício. Em outro capítulo, poderemos conversar mais detalhadamente sobre as características do ponto comercial. Apenas para ilustrar a questão de benefícios: quem aqui não gostaria de, enquanto deixa seu pet para banho e tosa, conseguir fazer as unhas, cabelo e ainda tomar um bom café? Não seria interessante agregar um salão de beleza com cafeteria, bem próximo de um petshop? Este pequeno exemplo, só servirá para quem tem pets e não necessariamente para 100% da população, mas é apenas, para um mínimo questionamento de como validar um bom ponto comercial atrelado ao seu ramo de negócio e ainda, trazer facilidade de acesso para teu cliente.

When – Quando. Empreendedora, de acordo com o produto que você escolheu fabricar, representar ou vender ou, de acordo com o serviço a ser prestado, e diante dos recursos que você tem para abrir seu negócio, quando é a época mais propícia para abri-lo e inaugurá-lo? A percepção do momento mais adequado para abrir o empreendimento é tão importante quanto os demais itens já elencados aqui. É preciso pensar em tudo: no dia da inauguração, na propaganda que será feita em torno do negócio, no entorno do ponto comercial e novamente, no seu público alvo a ser atingido. Você pode escolher o momento ideal e atrelar campanhas de parceiros ao seu negócio e otimizar seus custos de inauguração. Ou você pode escolher repassá-los a seus fornecedores. Um hipermercado conhecido, quando inaugura lojas na região, repassa os custos de inauguração aos fornecedores de produtos vendidos pelo tamanho de exposição: um custo para estar na gôndola principal, banner ou folder, é um bom exemplo. Quando é a melhor época? Estude a região do seu público alvo, o que tem ao redor, o clima (tempo) do local, a melhor estação do ano, o melhor dia segundo o calendário de feriados, de datas comemorativas e até de eventos da região, para que assim, você siga um caminho empreendedor mais refinado. Um segmento que atua fortemente no verão, pode, por exemplo, lançar pacotes promocionais em datas comemorativas (dia das mães, dos namorados, dos pais, etc.), para continuar a terem clientes no inverno também. Escolher o momento certo, dependerá essencialmente, de saber exatamente o seu target e também se valer dos eventos previstos na região onde se localiza o seu negócio.

Why. Por que abrir o negócio? Para responder este impasse, nada melhor do que utilizar o viés conhecido das web pages – missão, visão, valor. Se você empreendedor, conseguir escrever sobre estes três itens, logo no início de suas ideias, já estará muito bem encaminhado. Vou facilitar para você, te fornecer três princípios, que são importantes passos para uma empresa seguir um planejamento estratégico, e que servem de base para estabelecer os objetivos e as metas da companhia. Um negócio guiado apenas por obtenção de lucros que se transforma em dinheiro, terá poucas oportunidades de se diferenciar e ter sucesso sólido a longo prazo.

Defina os princípios

O estabelecimento de princípios é fundamental para pontuar o que a empresa quer ser e como ela pretende se relacionar com seu meio social, sua comunidade, seus parceiros, seus concorrentes e seus clientes. São estes:

Missão: é o que você é como empreendimento, o que seu ramo de negócio quer representar, que imagem quer passar. É o seu ramo de negócio no PRESENTE.

Visão: é onde seu empreendimento pretende chegar com seu produto ou serviço, é a métrica que vai determinar o tamanho dos teus sonhos empreendedores segmentado para a realidade. É o seu ramo de negócio no FUTURO.

Valores: Formam o código de conduta do seu ramo de negócios, da sua empresa, com os princípios morais e éticos que deverão ser obedecidos e levados a sério, durante a trajetória da empresa. São as regras do jogo do teu negócio e não são passíveis de esquecimento ou negociações. Os valores obrigatoriamente devem refletir em cada comportamento, atitude e decisões da empresa como um todo, e direcionar o relacionamento do empreendedor e de sua equipe de colaboradores, bem como, as atitudes para com fornecedores e clientes. Na medida em que, o empreendedor coloca quais as suas responsabilidades com a sociedade, como os colaboradores deverão se comportar, e como seus clientes deverão ser tratados, ele estabelece os valores de seu ramo de negócio.

E finalizando

How. Como. Como abrir o negócio é a parte detalhada não só da parte de plano de ação, da estrutura física necessária, mas também da parte burocrática e documental fundamentais para formalizar o negócio. São dois planejamentos: os gastos estruturais e os gastos legais, digamos.

Os gastos estruturais deverão ser previamente definidos e compõem toda a estrutura física para viabilizar o negócio e sua evolução e os gastos legais, a princípio são: o contador para elaborar os documentos necessários e estudar se o seu ramo de negócio poderá se enquadrar no Simples Nacional ou em qual regime de tributação será mais viável, o contrato social, o registro de alvará de localização e funcionamento junto à Prefeitura Municipal da localidade do seu ramo de negócios, o registro na Junta Comercial do Estado ao qual pertence o seu negócio, a Inscrição Estadual, as Licenças e inscrições nos órgãos de regulação estaduais e municipais; e, dependendo do ramo do negócio: inscrição em órgãos federais, como o ministério do turismo, ministério da agricultura, pecuária e abastecimento, polícia federal, entre outros.

É essencial que você consulte um contador, que é a pessoa mais indicada para te orientar em todas as licenças e inscrições que sua empresa irá precisar de acordo com seu ramo de atividade e demais características.

No nosso próximo café, serão abordados com mais detalhamento, os gastos estruturais e os gastos legais, para que você saiba tudo o que é necessário para abrir o seu próprio negócio.

Enquanto isto, ponha no papel o seu plano de ação, para que o seu sonho empreendedor se torne o mais estreito possível à realidade dos seus negócios pretendidos.

Até breve e ótimos negócios!

Walkyria RIbeiro, proprietária do www.auditoriaepericia.net