10
set

Como calcular o giro de estoque de maneira eficiente

Muitos empreendedores encontram dificuldades no momento de calcular o giro de estoque e essa é uma parte importante para garantir a saúde financeira de um negócio. Empresas que trabalham com venda de produtos precisam estar sempre atentas ao estoque, para não entrarem em grandes problemas futuros.

O que é giro de estoque 

Se trata de um indicador dos recursos presentes em uma empresa e ter esse controle deve estar alinhado com os demais processos de planejamento estratégico.

Quando o empreendedor tem a noção dos recursos disponíveis no negócio, pode identificar também quais são as ameaças e os principais problemas que impedem o estoque de colaborar para o lucro do negócio.

3 Passos a serem seguidos

  1. Primeiro o empreendedor precisa definir o período do cálculo;
  2. É preciso encontrar o número total de produtos que foram vendidos neste período;
  3. Um volume médio de estoque neste período deve ser estabelecido.

O que é preciso saber para calcular o giro de estoque

Para que um negócio se mantenha competitivo e cumpra as suas atividades precisa ter um controle eficiente de estoque, e para isso, há dois fatores que precisam ser levados em conta:

  1. Em caso de menor estoque, será menor também a necessidade de capital imobilizado, ou seja, o capital retido apenas gerando receita;
  2. Não deve faltar produtos para a venda.
A falta de equilíbrio pode gerar problemas para o negócio: mercadorias paradas no estoque e sem procura do consumidor e a demanda por produtos e escassez no estoque. Nesses dois contextos, o empreendedor terá prejuízo. No primeiro caso, o dinheiro investido não retorna em vendas, e no segundo, o cliente se sente frustrado com a falta do produto no estoque e tem que desistir da compra.

Para que se obtenha o equilíbrio no controle de estoque, é preciso que o negócio se cerque de todas as informações como históricos de vendas de mercadorias e períodos do ano em que se pode alcançar estoques mínimos necessários que atendam às demandas: Preste atenção também no prazo de entrega dos fornecedores, se forem prazos menores, serão menores também os estoques de produtos.

Entenda como calcular o giro de estoque

Exemplo 1 – O estoque médio de uma papelaria é de 400 pacotes de folha de sulfite e a empresa vende 3.600 pacotes por ano. O giro de estoque é calculado da seguinte maneira: 3.600 dividido por 400, o que resulta em 9 giros no período. O que isso mostra é que ocorre renovação de produtos 9 vezes ao longo do ano.

Exemplo 2 – Neste caso, será utilizada como base o custo de compra no lugar da quantidade de produtos. Neste modelo se faz a seguinte análise, o custo de compra de cada pacote de folhas de sulfite é de R$6. O estoque médio a preço de compra é de R$2.400 e o volume de vendas ao ano é de R$21.600. Ao dividir 21.600 por 2.400 obtém-se a quantidade de 9 giros ao ano.

Exemplo 3 – O cálculo também pode ser feito baseando-se no indicativo de dias, calcula-se o tempo médio (TM) de giro de estoque: 365 dias divididos por 9 é igual a 40,5 dias. A papelaria girou o estoque de pacotes de sulfite 9 vezes no ano a cada 40,5 dias.

Em casos de resultado menor que 1 fica constatado que alguns produtos continuam na prateleira. E em casos de produtos perecíveis, devem ser considerados intervalos menores.

O giro de estoque ideal é quando o negócio consegue calcular o giro de estoque médio e ter um controle da entrada e saída de mercadorias. O ideal é que não haja estoque em excesso, que significa na maioria dos casos, perda de dinheiro, e nem falta de estoque, que gera perda de vendas.

Para empreendedores que encontram dificuldades no controle de estoque, há algumas ferramentas gratuitas, como é o caso da oferecida pela MarketUp (confira), que procura facilitar a gestão do negócio, inclusive, do estoque.

Se você percebeu que o seu estoque médio está abaixo do esperado deve levar em consideração alguns pontos como:

  • Talvez o seu público-alvo não esteja sendo atingido, neste caso, pode ser interessante investir em ações de marketing adequadas;
  • Rever os preços pode ser necessário, isso deve ser feito com cautela, já que diminuir o preço não quer dizer que haverá maior volume de vendas e mesmo se aumentar o número de vendas, pode não significar mais lucros:
Neste último caso é importante que o empreendedor reveja o preço de venda de cada um dos produtos e avalie se é mesmo o valor de mercado ideal. Analisar também os valores propostos pela concorrência também faz parte se quiser aplicar essa estratégia.