29
out

Como reduzir custos na empresa de forma simples e inteligente

A princípio repensar os processos é essencial com intuito de que essas medidas possam somar em receitas e futuramente novos investimentos. O corte de custos é importante em diversos cenários e não só em momentos de crise financeira ou comprometimento do fluxo de caixa.
Confira sugestões de como reduzir os custos na sua empresa com foco em resultados futuros e sem prejudicar a imagem do negócio. 

Quando é viável reduzir custos na empresa?

Existem diversos cenários que são propícios para reduzir custos na empresa de modo estratégico. Crise financeira no país, fluxo de caixa no vermelho ou quando o negócio vai muito bem, e por conta disso, é hora de expandir e apostar em novos investimentos.

É preciso focar em estratégicas que viabilize o corte de custos sem prejudicar a competitividade da empresa, mas pelo contrário, torná-la mais dinâmica e lucrativa.

Mensure riscos e benefícios

É impossível traçar corte de custos com segurança na ausência de um planejamento e estratégia para essa medida. Essa tarefa não é nada simples e muitas empresas falham, no lugar de minimizar despesas, aumentam prejuízos.

É preciso reunir os principais departamentos da empresa, incluir critérios e objetivos de cada estrutura. Como o departamento está se organizando? Quais são os custos em cada processo? Existe algo que pode ser automatizado?

Toda vez que pensarmos em reduzir custos na empresa é essencial mensurar os riscos e benefícios das possíveis medidas aplicadas. O cálculo sobre o retorno de cada setor e sua importância para a competitividade da empresa deve ser levado em conta.

Muito cuidado com propostas de redução de custos que comprometam a qualidade dos serviços oferecidos ao cliente. Essa medida deve ser isenta das suas opções. 

O que NÃO fazer na hora de reduzir custos na empresa

  • Economizar diminuindo a qualidade dos produtos e serviços;
  • Diminuir o número de colaboradores no atendimento, por exemplo, e tornar um caos um dos principais pontos do seu negócio;

  • Ignorar as medidas simples que podem reduzir gastos fixos, como: energia elétrica, aluguel e impostos;
  • Agir na ausência de um planejamento estratégico detalhado sobre todas as atividades executadas e custos;
  • Não investir em tecnologia para otimizar processos ou ignorar a possibilidade de terceirizar serviços;
  • Economizar em áreas que são sinônimos de retorno e leads. Exemplo: divulgação do negócio e estratégia de marketing;
  • Comprometer a qualidade dos produtos e serviços é um risco!

Para que a sua empresa não caia em armadilhas ao reduzir custos o primeiro passo é traçar o planejamento para essa execução. Medidas que estão dando certo e que são considerados pontos fortes no negócio deve ser preservado.

Se atuar na indústria da alimentação, por exemplo, muito cuidado ao mudar o fornecedor ou cozinheiro. Atenção em dobro para a economia que pode repercutir em péssima experiência para o cliente ou diminuir sua expectativa.

Trocar a marca dos produtos por fornecedores mais baratos? Esse também é um risco que deve ser calculado e testado. Se o produto, por exemplo, comprometer a qualidade do que é oferecido ao cliente, elimine essa opção.

A pesquisa sobre novos fornecedores deve ser constante. Esteja atento aos novos serviços, a possibilidade de custo-benefício é sempre bem-vinda. Sempre mensure esse risco, de preferência peça indicações. 

Transforme custos fixos em variáveis

Essa é uma estratégia bastante inteligente já aplicada por muitas empresas. Os custos fixos como aluguel, água luz, telefone, internet, TV a cabo e outros podem ser transformados em variáveis (que atuam dependente da produção).

Para entendermos melhor os custos variáveis como o nome diz, pode variar de acordo com a situação. Como transformar gastos fixos em variáveis?

Um bom exemplo são as empresas que possuem um espaço bastante amplo, no lugar de manter todas as salas em uso, aluga esporadicamente o ambiente para coworking. Nesse caso a estratégia ajudou a gerar receita que pode ser aplicada em melhorias.

Outro exemplo para transformar custos fixos em variáveis é estabelecer política de salários que também levem em conta o desempenho.

Inserir política de remuneração conforme a produtividade é um formato justo para avaliar o desempenho de cada funcionário e ainda ajudar a reduzir custos fixos. Vale também oferecer vouchers de compras, ingressos e outras bonificações de reconhecimento para aqueles que se destacarem.

Atente-se aos pequenos detalhes na hora de reduzir custos

É muito comum o gestor deixar de se atentar aos detalhes na hora de reduzir custos. Essas particularidades podem ser apontadas em diversos processos na empresa. Para concluir veja alguns questionamentos essenciais na hora de reduzir custos na empresa:

  • Existe a necessidade de manter todos os profissionais alocados?
  • Quais serviços podem ser terceirizados?
  • Utilize lâmpadas e menor consumo e sensores de presença;
  • Aposte nos softwares  de gestão empresarial e otimize o máximo de processos que for possível;
  • Troque copos descartáveis por opções de vidro;
  • Conscientize a equipe sobre os impactos ambientais e a preservação da estrutura e higiene do local de trabalho.

Colaboração de Nodari Consultoria Financeira, Estratégica e de Planejamento