13
jun

Empatia é fundamental para empreender

A palavra empatia tem origem no termo em grego empatheia, que significava “paixão”. Ela parte do pressuposto de uma comunicação afetiva com outra pessoa e, é um dos fundamentos da identificação e compreensão psicológica de outros indivíduos.

“A empatia é necessária, para que tenhamos um bom desempenho nos relacionamentos, inclusive, de nossa trajetória profissional. Ela também contribui para que sejamos empreendedoras mais afinadas com o que nosso cliente ou com o que nosso consumidor quer de nós …”

É a capacidade psicológica para sentir o que sentiria a outra pessoa caso estivesse na mesma situação vivenciada por ela. Ter empatia significa tentar compreender sentimentos e emoções, procurando experimentar de forma objetiva e racional o que sente outro indivíduo.

A empatia como colaboração

A empatia é uma característica que faz com que as pessoas ajudem umas às outras. Está intimamente ligada ao altruísmo – amor e interesse pelo próximo – e à capacidade de ajudar. Quando uma pessoa consegue sentir a dor ou o sofrimento de outra pessoa ao se colocar no seu lugar, desperta a vontade de ajudar e de agir seguindo princípios morais. A capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa, que se desenvolve através da empatia, ajuda a compreender melhor o comportamento em determinadas circunstâncias e a forma como a outra pessoa toma as decisões.

A empatia é uma fusão emotiva, diferente da simpatia que é uma resposta intelectual. Enquanto a simpatia indica uma vontade de estar na presença de outra pessoa e de agradá-la, a empatia faz brotar uma vontade de compreender e conhecer outra pessoa. Na psicanálise, por exemplo, a empatia significa a capacidade de um terapeuta de se identificar com o seu paciente, havendo uma conexão afetiva e intuitiva.

Empatia no mundo dos negócios

A empatia é necessária, para que tenhamos um bom desempenho nos relacionamentos, inclusive, de nossa trajetória profissional. Ela também contribui para que sejamos empreendedoras mais afinadas com o que nosso cliente ou com o que nosso consumidor quer de nós, pois, uma vez que conseguimos nos colocar no lugar dele, conseguimos atingir a parte emotiva dele, da mesma forma que um gatilho mental é usado, para que, tenhamos a mão, o produto ou serviço mais parecido com ele, que possa atendê-lo efetivamente.

Hoje, tive uma conexão através da rede social, que me proporcionou bastante empatia. Eu visualizei um post de uma amiga onde descrevia um produto alimentício comprado para uma refeição. Na mesma hora, deixei a pergunta: “se a empresa era de Santos (SP), onde eu resido.” E apesar da resposta da minha amiga já ter me deixado direcionada, a empreendedora, produtora do alimento que visualizou a conversa na rede, entrou em contato comigo na mesma hora, e já se colocou a disposição para o fornecimento do produto, me orientando o local da fabricação e me dizendo gentilmente: “O pessoal tem vindo retirar no local, mas, se precisar você me avisa que eu produzo para você”. E finalizou com um educado “Sucesso para todas nós. Tenha um excelente dia.”

Ok, eu me interessei pelo produto, mas, como não amar também o fato de ser bem atendida sem ainda ser cliente desta empreendedora?

O fato da cozinha desta empreendedora, no momento, estar em finalização devido a benfeitorias e de seu ponto comercial ainda não estar totalmente disponível, não impediu o acesso de novos clientes para a marca. Afinal, qual de nós não se renderia a um produto de qualidade atrelado a cortesia e excelente atendimento pessoal?

É preciso estudar muito o ramo de negócio para empreender e que abrir um negócio depende também de outros fatores em conjunto, que veremos ao longo de nossa estada juntas.

Despertando o gatilho mental

Mas sejamos honestas: empatia é uma característica fundamental para empreender. Ao nos colocarmos no lugar do outro, entendemos como esta pessoa gostaria de ser tratada, pois pensamos em como queremos ser tratadas também pelas demais pessoas e ai, tudo fica mais simples de resolver, evitando indisposições necessárias neste mundo profissional e social que temos que nos relacionar.

Evitemos ostentar a discórdia, ou a petulância e orgulho excessivo com palavras ou atitudes quando nos relacionarmos, especialmente, no mundo dos negócios. O importante é criar conexões e saber mantê-las saudavelmente. Você só tem a ganhar, seu parceiro seja de negócios ou não, só terá mais admiração e respeito por ti e seu cliente, eu tenho certeza, vai fidelizar contigo.

E você, já pôs em prática a sua empatia para empreender hoje?

Esta pequena contribuição é inspirada em duas queridas empreendedoras que conheci recentemente em Santos: Ivanise Tunis e Deniele Barriento.

Até o próximo encontro. Sucesso!

Walkyria Ribeiro é proprietária da www.auditoriaepericia.net