26
out

Meta: o que você está fazendo de errado

Fim do ano chegando e de repente descobrimos que aquelas metas que planejamos estão longe de serem cumpridas. Até porque, provavelmente, algumas foram “esquecidas” ao longo do ano.
Mas o faz com que tenhamos dificuldade de mantermos o foco naquilo que, aparentemente era importante para nós? Afinal, eram tão relevantes que viraram nossas metas, não é mesmo?
Provavelmente, quando não conseguimos alcançá-las, tendemos a ter alguns pensamentos imediatos: “ela não era tão importante mesmo”, “sou um fracasso”, “usei a técnica errada para definir minhas metas”, “era algo impossível”.
O fato é que ao invés de entendermos o que nos fez “abandonar o barco” ficamos nos punindo, e não nos damos conta de que para conquistar aquilo que queremos precisamos remar esse barco com vontade, entusiasmo e foco, mesmo se vier uma tempestade pela frente.

Mas, como fazer isso, quando às vezes, nos faltam forças?

Podemos começar analisando se aquela era mesmo uma meta importante para mim, ou simplesmente a defini porque alguém disse que eu deveria fazer. Quando não estamos conectadas emocionalmente àquele objetivo, provavelmente ele deixará de ser importante e esqueceremos dele ao longo do ano.

Além de ser algo realmente importante, é preciso manter o olhar positivo e celebrar cada conquista, ainda que pequena. Comemore os centavos economizados para a viagem do réveillon, comemore os gramas eliminados que te levam a uma saúde melhor e, por que não, entrar naquele vestido maravilhoso. A cada pequena conquista, comemore. E principalmente lembre de como você foi competente para passar por mais essa etapa.

E cada etapa em direção à meta pode ser planejada. Muitas vezes nos colocamos um objetivo ousado, e não planejamos o passo a passo para chegar lá. Experimente fazer isso. Defina sua meta e aí planeje como vai chegar lá. Ah, e planeje também como vai comemorar a conquista de cada passo.

Gosto de lembrar como aprendemos a andar. Primeiro, engatinhamos, e aí nossos pais comemoraram e nos incentivaram a continuar, nos mostrando que estávamos no caminho certo. Depois nos deram a mão e apoio para que ficarmos em pé e darmos o primeiro passo, e aí, nova comemoração. Só depois de firmarmos nossos passos é que passamos a correr.

Com nossas metas é a mesma coisa. Comemore, busque apoio, reconheça seu desempenho, persista e ajuste a rota quando necessário.

Antes de pensar que a meta é impossível, pense no que pode fazer para torná-la possível. E se você já conquistou suas metas desse ano, compartilhe com a gente 😊

Colaboração da Andrea Sarno é Especialista em Desenvolvimento Humano e Proprietária da Avena Consultoria

Tags: