FOTO: FREEPIK
09
nov

Quais são as crenças limitantes que te impedem de crescer

   As crenças são compreensões que fazemos do mundo, das pessoas e sobre nós mesmos. Fazem parte da construção de nossa identidade a partir de ensinamentos que aprendemos e vivenciamos desde o nosso nascimento, com a família, professores e amigos. Passamos a considerá-las como verdadeiras por representarem os valores que fundamentam nossas escolhas e acabam se tornando referências para o nosso estilo de vida.

    A formação de crenças é importante. Se a pessoa acredita que pode fazer e que é capaz, ela faz. Mas, quando acredita que não pode, esta crença é formada no inconsciente, o impedindo de fazer determinada ação e de se desenvolver.

“Pode vir com traumas do colégio, da crença de que quem tem dinheiro/ sucesso é ruim, esnobe, humilha os outros … O medo de errar, a ideia de que se não tiver sucesso não será amada, ou que se tiver sucesso se distancia da família.”

   Há crenças que nos ajudam a alcançar objetivos de crescimento. Você provavelmente já viu aquela pessoa entusiasta, que tem padrões de pensamentos positivos, que fala e desenha o seu sonho e você consegue vê-los realizados. Esta forma de pensar está relacionada a crenças fortalecedoras. E aquelas pessoas que parecem estar amarradas diante de uma oportunidade e da vida, vivem a mesmice e sem alcance de objetivos relevantes, podemos relacionar às crenças limitantes.

    A motivação muda as crenças. Mas, mesmo sabendo que com a mudança das crenças limitantes obtemos ganhos, algumas pessoas ainda não mudam. Nestes casos, são as crenças limitantes negando o desejo de obter esta mudança.

    A terapeuta Letícia Taveira afirma que ‘o ponto chave é identificar as crenças e o que está por trás delas, ou seja, a raiz, o que originou tudo isso… Sempre está no seu sistema, podendo estar no genético, histórico, na infância, gestação, etc… Apenas quando encontramos a raiz é que temos a garantia de retirar 100% a questão. Mas algumas crenças só ter consciência e a intenção de mudar, já funciona.’

   É preciso querer mudar, saber como mudar e se dar a chance de mudar, sendo que, antes de qualquer coisa é preciso que o sujeito acredite que pode mudar.

FOTO: FREEPIK

   E para as empreendedoras não é diferente. Percebe-se quando a vida profissional continua na mesma sem alterações e resultados diferentes, quando os sonhos continuam ainda como sonhos e não como realizações, quando são pronunciados constantemente ‘eu não consigo, eu não posso, é difícil, não é para mim’. Segundo a terapeuta, as mais comuns e genéricas crenças estão relacionadas ao medo do sucesso e medo do fracasso e segundo ela ‘isso nunca está como raiz. Aí pode ter reais choques e traumas passados, vividos ou herdados de outros tempos, sensações, experiência, algo que você ‘ouviu falar’.

  No coaching podemos trabalhar as crenças e em algumas terapias como EFT, Homeostase Quântica da Essência, ATPP, Microfisioterapia, Cinesiologia e a que a terapeuta entende como a mais completa dessas é o ThetaHealing que é o método usado por ela. Letícia complementa que uma crença limitante pode ter a raiz fixada em qualquer momento da existência de uma pessoa. ‘Pode vir com traumas do colégio, da crença de que quem tem dinheiro/ sucesso é ruim, esnobe, humilha os outros … O medo de errar, a ideia de que se não tiver sucesso não será amada, ou que se tiver sucesso se distancia da família’.

     A modificação das crenças limitantes começa pela percepção de sua necessidade e da motivação, focando no positivo e eliminando o negativo. Observe como você pensa e se comporta diante das oportunidades e na vida. Preste atenção nos seus diálogos, nas palavras mais usadas e na construção de suas frases e, observe também as pessoas de seu convívio e seus familiares.
Anote-as em um papel separando as crenças fortalecedoras das limitantes. Se para você ‘ganhar dinheiro é difícil’, reflita sobre o que realmente você quer dizer com isso e reescreva-a ‘ganhar dinheiro não é fácil, eu posso ganhar dinheiro com minhas habilidades’. Todas as pessoas do seu convívio acreditam que ‘ganhar dinheiro é difícil’? ‘Se você ganhar dinheiro’ o que lhe proporcionaria? Como se sentiria se ‘ganhasse dinheiro’? O que você faria de diferente para que fique mais fácil conseguir, usando este sentimento? Quem vai se beneficiar com isso?Quando vai começar? Como você vai saber que conseguiu? Mudanças requerem desafios e esforços e aqui, começa o autoconhecimento. 
  
*Letícia Taveira foi nossa palestrante no 2º Café com empreendedorismo para mulheres